Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Jogadora brasileira de Call of Duty Mobile assassinada

O mundo dos videogames está hoje entristecido com a notícia do assassinato de Ingrid Oliveira Bueno da Silva, jogadora brasileira de Call of Duty Mobile, às mãos de Guilherme Alves Costa, que conheceu no popular jogo mobile.

A jovem de 19 anos, que pertencia à equipa FBI E-Sports, foi esfaqueada por Alves Costa no primeiro encontro após um mês a jogarem juntos Call of Duty Mobile. A Jaguares Esports deixou uma mensagem de luto perante o acontecimento e despertou a atenção para o acontecimento, algo que está a ser partilhado entre a comunidade mundial dedicada ao jogo da Activision.

A Jaguares Esports deixou ainda um aviso sobre o comportamento tóxico perante as mulheres que jogam videogames e partilhou um comunicado do clã Gamers Elite onde são relatados detalhes sórdidos do assassinato. O assassino partilhou o ato nas redes sociais e afirmou estar em plena posse das suas capacidades facultativas e ciente que assassinou uma jovem mulher.

Ingrid Oliveira, conhecida como SOL entre os jogadores de Call of Duty Mobile, esteve desaparecida durante vários dias e foi encontrada morta, esfaqueada. O responsável entregou-se às autoridades após o seu ato ter sido comunicado pelos membros do seu clã, com quem partilhou o registro visual do assassinato.

O autor do crime, Guilherme Alves Costa, afirmou em outra postagem que seu objetivo era divulgar um material por escrito contendo planos de executar pessoas cristãs.

"Vocês estão achando que é tinta, montagem ou algo do tipo, mas não é. Eu realmente matei ela, entendeu?", afirma Guilherme na publicação.

Eles se conheceram pela internet e Ingrid foi visitá-lo na casa dele, onde foi atacada. Não há informações ainda se a jovem seguia alguma religião.

Imagem

Os nossos pêsames à família e amigos de Ingrid Oliveira Bueno da Silva.



Fonte: Eurogamer

Comentários

24 Fev, 2021 - 23:12

1114 Views

Comentários