Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

TOP 10: Os Melhores RPG dos Últimos Cinco Anos

De PS4 a Nintendo Switch, de Xbox One a PC, estes são os melhores do gênero RPG.

O gênero RPG cresceu imenso na última década, e passou de uma proposta nicho para se tornar numa das categorias mais populares dos últimos anos. É também um gênero bastante amplo - de ficção científica a fantasia, de orientais a ocidentais -, com muita oferta, e por isso decidimos criar este TOP 10 dos últimos cinco anos, considerando somente PC, PS4, Xbox One, e Nintendo Switch (plataformas como Wii U, PS Vita e Nintendo 3DS ficaram de fora deste TOP, apesar de também incluírem algumas propostas muito interessantes).

Outra regra: só consideramos jogos que se definam realmente como RPG, e não variantes. Jogos como Dark Souls, Diablo e Horizon: Zero Dawn, têm elementos RPG, mas não o são realmente. Esclarecidos? Então continuemos.

Imagem

10º South Park: The Fractured but Whole

  1. Editora: Ubisoft
  2. Produtora: Ubisoft
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"South Park: The Fractured but Whole segue de muito perto a estrutura do jogo anterior, The Stick of Truth, mas em vez de se inspirar em fantasia clássica, é inspirado por super-heróis. A experiência de jogo é muito semelhante, mas as maiores diferenças surgem ao nível do sistema de combate. Enquanto o anterior era inspirado pelos RPG de fantasia, incluindo equipamentos com estatísticas e combates por turnos, The Fractured but Whole segue um modelo mais simples. Agora já não têm de se preocupar com mana para executar os golpes, e os fatos já não influenciam o desempenho do jogador. Agora o foco está no posicionamento das personagens no campo de batalha."

Imagem

9º Xenoblade Chronicles 2

  1. Editora: Nintendo
  2. Produtora: Monolith Soft.
  3. Plataformas: Nintendo Switch


"Xenoblade Chronicles 2 é uma experiência mais virada para a narrativa do que foi Chronicles X, desta vez seguindo Rex. Este jovem teimoso vai unir forças com Pyra, numa viagem através de várias localizações memoráveis, onde vão interagir com um leque de personagens interessantes. Sim, também é um jogo com inúmeros clichês, mas não é isso que o define. Toda as personagens têm oportunidade para crescer, e para se expandirem além da impressão inicial. O ponto de partida é uma busca por Elysium, tendo Drivers, Blades, e a Tree of Life como pilares principais da narrativa."

Imagem

8º Fallout 4

  1. Editora: Bethesda Softworks
  2. Produtora: Bethesda Game Studios
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"Fallout 4 consegue equilibrar bem a satisfação do progresso e evolução na aventura, sem nunca quebrar a sensação de insegurança e eventual perigo. Depois de várias horas de jogo, vão recordar os primeiros passos e perceber que estão muito mais preparados para lidar com o mundo hostil de Fallout 4. Isso nunca significa que serão invencíveis, e se não tiverem cuidado, correm sempre perigo, mas pelo menos terão sempre companhia ao vosso lado."

Imagem

7º Pillars of Eternity

  1. Editora: Paradox Interactive
  2. Produtora: Obsidian Entertainment
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"Se forem suficientemente inteligentes, terão uma variedade de opções corajosas, ou se se apostarem na perspicácia serão capazes de identificar certas nuances e estabelecer determinadas ligações de que de outra forma não seria possível. Por outro lado, um perito na história passada e nos mitos do mundo de jogo, terá informações que vão dar outra perspetiva às conversas. Outros elementos que podem modificar as opções de diálogo estão relacionadas com a nossa raça, origem, classe e decisões passadas."

Imagem

6º Final Fantasy XV

  1. Editora: Square Enix
  2. Produtora: Square Enix
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"Um dos pontos mais impressionantes de Final Fantasy XV é o mundo de jogo que coloca ao dispor do jogador. Não têm de caminhar muito para encontrar criaturas massivas, desde monstros agressivos, a dóceis herbívoros. Embora massivo, Final Fantasy XV não é nenhum Skyrim ou Witcher 3 em termos de liberdade. Têm de ir desbloqueando o mundo pedaço a pedaço, revelando lentamente mais conteúdo. Mesmo depois de avançar, existem motivos para mais tarde regressar a áreas já visitadas, seja para desbloquear segredos, ou para enfrentarem criaturas que na altura eram demasiado poderosas. Para o tipo de experiência que Final Fantasy XV pretende proporcionar, a estrutura funciona bastante bem."

Imagem

5º Dragon Age: Inquisition

  1. Editora: Electronic Arts
  2. Produtora: Bioware
  3. Plataformas: PC, PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One


"Dragon Age: Inquisition é um excelente RPG, que pode ser jogado de várias formas e que se adapta a principiantes e a veteranos. A história é sólida, a aventura é massiva (completar todo o conteúdo deve ocupar centenas de horas) e existe muito para ver. Com uma jogabilidade bastante equilibrada, grandes níveis de produção e uma influência real do jogador na narrativa, Dragon Age: Inquisition é claramente um dos melhores RPG da geração."

Imagem

4º Divinity: Original Sin

  1. Editora: Larian Studios
  2. Produtora: Larian Studios
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"Aparte dessa direção solta, consequência de uma abordagem livre e focada na exploração, Divinity: Original Sin é um RPG clássico de grande qualidade. Seja através de um puzzle complicado, conversas interessantes ou combates que nos vão obrigar a recarregar o último save, vão encontrar um desafio que é pouco comum nos dias de hoje. Original Sin é uma carta de amor para quem apreciava os RPG de outrora e embora seja um jogo que exige muito do jogador, no fim acaba por dar muito mais do que pede."

Imagem

3º Persona 5

  1. Editora: Deep Silver
  2. Produtora: Atlus
  3. Plataformas: PS3, PS4


"O segredo de Persona 5, tal como no jogo anterior, está na forma como equilibra as duas componentes centrais da experiência: a exploração de masmorras com a simulação social. No papel parecem dois jogos completamente diferentes, mas a Atlus mistura ambos de forma interessante e natural, onde um é dependente do outro. Os jogadores vão percorrer todos os dias da vida deste estudante ao longo de vários meses (normalmente entre manhã, tarde, e noite), e isso envolve tomar decisões sobre o que vão fazer com o tempo disponível. Podem ir ter com amigos, estudar, trabalhar, participar em várias atividades extra-curriculares, ou podem explorar masmorras numa realidade alternativa. A questão é que não há tempo para fazer tudo, o que incentiva a uma gestão cuidadosa do que vão fazer. Esta gestão é ainda mais importante quando o jogo estabelece um limite de tempo para terminarem uma masmorra, como duas semanas, por exemplo. Além de que existem atividades obrigatórias, e ainda eventos especiais ao longo do ano."

Imagem

2º Divinity: Original Sin 2

  1. Editora: Larian Studios
  2. Produtora: Larian Studios
  3. Plataformas: PC


"A estória de Divinity: Original Sin II resulta tão bem porque o mundo e as respetivas personagens são extremamente ricas em nuances e detalhes. Isso é também verdade ao nível gráfico, sobretudo em termos de cenários, com algumas vistas espetaculares. Como no primeiro, terão uma perspetiva de topo, mas Original Sin II é um triunfo de design e construção de mundo."

Imagem

1º The Witcher 3: Wild Hunt

  1. Editora: Bandai Namco
  2. Produtora: CD Projekt Red
  3. Plataformas: PC, PS4, Xbox One


"Este é apenas mais um elemento extra de um jogo que está recheado de conteúdo para absorverem, tudo colado por um mapa sem ecrãs de carregamento e que não deve nada em termos de escala a The Elder Scrolls V: Skyrim. Mais importante que a escala, é a qualidade do mundo que vão visitar, recheado de personagens que continuam a sua rotina e que conversam e comentam entre si, acrescentando um nível de imersão fabuloso."

Fonte: Gamereactor

Comentários

11 Fev, 2018 - 01:26

4136 Views

Comentários