Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Gamer conta história de superação após sofrer AVC aos 19 anos de idade durante jogo online

Jogos online podem durar várias horas e exigem atenção e foco do jogador. Tanto que em 2016, o jovem Guilherme Nogueira não deu atenção à dor de cabeça intensa que o atingiu durante uma dessas sessões. Pensando ser algo sem importância, talvez devido à própria tensão natural do jogo, não quis sair da partida.

Mas ao terminar, a dor ficou insuportável e Guilherme pediu ao irmão para levá-lo ao hospital. Chegando lá, recebeu um diagnóstico inesperado: aos 19 anos de idade, estava tendo um Acidente Vascular Cerebral (AVC), o popular derrame, que impede a circulação de sangue no cérebro e pode causar danos permanentes à função cerebral e até levar à morte.

A forma isquêmica do AVC é a mais comum e ocorre em 85% dos casos. Caracteriza-se pela obstrução a um vaso sanguíneo que fornece sangue ao cérebro, bloqueando a passagem de oxigênio para as células locais, chamadas de neurônios, causando a sua morte. Já na hemorrágica, um vaso enfraquecido rompe e sangra no cérebro, causando inchaço e aumento da pressão local.

O AVC é uma das principais causas de morte e a principal causa de incapacidade no mundo. Segundo a World Stroke Organization, 1 em cada 4 pessoas terá um AVC ao longo da vida. Após três anos, a recuperação de Guilherme está evoluindo positivamente. Ele, que é conhecido pelos fãs de games como Phoenix BR, têm usado seu canal no Youtube, onde conta com mais de 680 mil inscritos, para alertar sobre a doença.

"Meu objetivo é chamar atenção das pessoas sobre a importância do rápido atendimento em casos de AVC. Se eu estou aqui para contar essa história foi por causa do rápido reconhecimento dos sintomas e da agilidade da equipe que me recebeu no hospital", explica. O gamer aderiu à campanha A Vida Conta e gravou um vídeo que está disponível em suas redes sociais e nos canais da Rede Brasil AVC, ONG formada por profissionais de diversas áreas que unidos lutam para diminuir o número de casos da doença, melhorar o atendimento pré-hospitalar e hospitalar ao paciente, melhorar a prevenção ao AVC, propiciar a reabilitação precoce e reintegração social.

Menos de 2% das pessoas acometidas pelo AVC estão na faixa etária

entre 18 e 29 anos. A neurologista e presidente da Rede Brasil AVC,

Dra. Sheila Martins, explica que "apesar do AVC não ser tão prevalente entre as pessoas mais jovens, as sequelas podem ser igualmente impactantes se o atendimento não for feito rapidamente. A cada minuto sem tratamento, 1,9 milhão de neurônios são perdidos". Para se manter longe do risco, a médica recomenda não fumar, diminuir o sal na dieta, comer mais frutas e vegetais, praticar de atividades físicas regulares e restringir o consumo bebidas alcoólicas , já que cerca de 90% dos AVCs são associados a fatores de risco que podem ser prevenidos.

Sobre a campanha A Vida Conta

Para alertar a população sobre a importância do rápido atendimento

ao paciente que está sofrendo um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou

infarto, foi criada a campanha "A Vida Conta", que é uma iniciativa da

ONG Rede Brasil AVC em parceria com a Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares, com apoio da Boehringer Ingelheim.

Para saber mais, clique aqui e visite o site oficial ou o facebook.

Fonte: Observatoriodegames/Bol/Uol

Comentários

10 Dez, 2019 - 20:35

1306 Views

Comentários

Notícias