Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Brincadeira fatal envolvendo Call of Duty resulta em mais uma prisão

Call of Duty é um título extremamente popular para os norte-americanos, e comumente a franquia se torna alvo de discussões. No entanto, nem todos os jogadores estão aptos à lidar com a realidade tal como a conhecemos, e acabam resultando em tragédias inesperadas. No passado, o morador Andrew Finch foi alvo de uma "brincadeira" que acabou resultando em sua morte. Durante a ocasião, dois jogadores estavam realizando uma aposta através de um dos títulos da Activision, que consistia em realizar um "Swatting" em outra localidade.

Para aqueles não familiarizados com o termo, Swatting se trata de realizar uma chamada falsa para a SWAT, afim de enviar um esquadrão para a residência da pessoa escolhida. Infelizmente, este caso acabou por resultar na morde de Finch, quando o grupo das forças especiais foi convocado para averiguar um suposto incidente envolvendo "reféns e um sequestrador armado".

Imagem

Casey Viner, de 18 anos, e Shane Gaskill, com 20 anos, foram os responsáveis pela ocorrência que resultou na morte de Finch. Mas a dupla não agiu sozinha, e Tyler Barriss (de 25 anos) foi quem efetuou a chamada para o endereço falso.

No fim das contas, todos os três seguem em trâmite frente às acusações. Temendo um julgamento para maiores, Viner declarou-se responsável antes que atingisse a maioridade – afim de assegurar uma pena menor. Sendo assim, o menor de idade (agora com 19 anos) cumprirá pena de 15 meses, e está proibido de jogar videogames durante 2 anos após o cumprimento da sentença. Barriss declarou-se culpado de várias acusações em 2018, e enfrenta 20 anos de prisão.

Por fim, resta apenas a situação de Gaskill, que declarou-se como inocente até o momento.

Tal situação certamente serve para exemplificar o porque de "brincadeiras" como essa não serem algo viável.

Fonte: Comboinfinito

Comentários

17 Set, 2019 - 12:54

554 Views

Comentários