Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Por que jogamos?



Dúvida cruel!


Difícil responder essa questão por todos. Então vou tentar responder apenas por mim.

Vídeo games estão na minha vida desde cedo. Quando ganhei de aniversário meu Dynavision 4, foi aquela paixão a primeira vista. Na época, com 4-5 anos, eu jogava apenas para me divertir, passar o tempo. Mas hoje, jogar se tornou algo mais complexo do que isso. A seguir, vou listar algumas razões pelas quais eu jogo. Mas não razões pelas quais jogo qualquer jogo. Na verdade, são as motivações que tenho para jogar um gênero ou jogo específico:



1 – Emocionar


Games me emocionam de várias maneiras. Não estou dizendo que choro jogando vídeo games, apenas que sinto várias emoções enquanto o faço. Para mim, existem 5 pontos que comandam as emoções quando estão jogando: enredo, personagens, progressão, jogabilidade, e dificuldade.

Enredo e personagens cativantes são mais que bem vindos em games. Eles são os principais responsáveis a transmitir as mensagens aos jogadores. Sejam estas mensagens de amor, ódio, perseverança ou até mesmo humor. Personagens também nos fazem sentir extramente poderosos. Aproveitando um dos games do momento, Dante, da saga DmC, é um personagem que passa tanto aquela sensação de poder ao jogador, como aquele bom humor que nos faz dar um sorriso maroto (não estou falando da banda).

Imagem

Jackpot! Dante não usa prestobarba!


Mas não é só o carisma e as habilidades de Dante que nos fazem sentir poderosos. Acho que o fator principal são a jogabilidade, progressão e dificuldade do game. O número absurdos de combos em DmC 3 ou DmC 4, por exemplo, junto a dificuldade geral dos inimigos te faz sentir um máximo ao alcançar os rankings de estilo altos (no meu caso, mal consigo chegar ao S). A progressão do game também é importante, pois se novas habilidades e equipamentos não fossem desbloqueados, uma emoção recorrente de repetição e posteriormente tédio seria comum para os jogadores. Mas não estou fazendo uma análise dos jogos, e sim dos sentimentos que eles nos passam. A saga de Dante tem esse dom de te fazer sentir poderoso e vitorioso. O que nos leva a outro motivo.

2 – Competir

Esse definitivamente não é o meu forte, então vou ser breve. Mas a competição, quando vencida, te faze sentir vitorioso, superior ao seus rivais. No meu caso, o tiro sai pela culatra, pois quase sempre eu acabo derrotado. Há anos jogos de FPS, luta e esportes trazem a competição entre os jogadores em primeiro lugar. Recentemente, joguei Apex Legends com os amigos e percebi que não tenho os dotes para ser competitivo.

Imagem

Eu, quando jogo Apex ou outro Battle Royale.


Enquanto eu busco os demais motivos listados aqui para jogar, meus amigos buscam a competição e o sentimento de vitória em primeiro lugar. Perder é tão frustrante que alguém vai ser o culpado, seja o mouse, controle, internet ou o membro da equipe que não ajuda em nada, vulgo eu mesmo. Acho que é por isso que não jogo muitos games do gênero, apenas os de esportes. Por que a frustração é algo que eu quero passar longe quando estou jogando, na verdade desejo geralmente o contrário, relaxar.

3 – Relaxar

Chego cansado da faculdade ou de alguma reunião e a única vontade que tenho é de iniciar qualquer jogo apenas para esquecer das obrigações da vida mundana por um tempo. Uma partida de FIFA ou NB2K contra a máquina ajudam a passar o tempo e descansar. Mas jogando no modo Online a conversa já é diferente. Já imaginei arremessar meu controle tantas vezes na parede que ele está começando a ter medo de mim. E uma vez, arremessei de verdade (obrigado Celeste). Mas existem jogos que foram feitos com esse intuito. Para que o jogador esqueça tudo, sente, e aproveite a jornada.

Falando em jornada, o primeiro game que me vem a mente é Journey (com o perdão do trocadilho) que apesar dos desafios, no geral é um jogo tão relaxante como estourar uma grande quantidade de plástico bolha.

Imagem

A sensação de jornada te faz esquecer da vida fora do jogo. Espere ai! Aquilo é um pênis?


Journey é daqueles jogos que te faz perder a noção de tempo, e se bobear você vai zerar sem perceber que estava zerando. Mas o mais importante é que a experiencia é quase que terapêutica. O que nos leva ao próximo motivo.

4 – Controlar a ansiedade.

Na verdade esse motivo se assemelha ao primeiro. Afinal, controlando sua ansiedade consequentemente faz você relaxar. Porém, para mim há uma grande diferença aqui, que é o caminho. O caminho que eu trilho quando jogo algo para relaxar é relaxante do início a o fim, se eu busco algo que me deixe tranquilo, e o que encontro é um desafio grande, acabo me frustrando e desistindo rapidamente. Já quando se trata de controlar a ansiedade, eu de inicio já busco um caminho mais árduo. Essa busca por superar a dificuldade presente no jogo me ajuda a manter a calma, paciência e principalmente a perseverança.

Lembro até hoje do dia que eu percebi o quanto um jogo me ajudava com problemas de ansiedade. O nome do jogo era Dark Souls. Eu odiei Dark Souls por já estar tentando matar Ornstein e Smough pela enésima vez e falhar miseravelmente. Desisti várias vezes do maldito jogo. Até que um belo dia, havia tomado uma chuva de criticas em uma apresentação e cheguei em casa me sentido um fracasso ambulante. Pensei comigo mesmo: "Como posso piorar meu dia?". A resposta era óbvia: Dark Souls. Mas naquele dia, eu estava tão derrotado que minha vontade de vencer e minha perseverança

eram tamanhas que eu consegui uma conquista inédita: fui derrotado mais 20 ou 25 vezes.

Imagem

Aldebaran de touro e Camus de Aquário.


Eventualmente eu matei aqueles dois desgraçados e a sensação de conquista foi imensa. Mas o mais importante para mim, como diriam aqueles escritores clichês, não foi o fim, mas sim a jornada. As inúmeras derrotas e humilhações que passei com Dark Souls não são nada perto do que passamos na nossa vida. Eu comecei a encarar o jogo como um treinamento. Ou melhor, eu não enxergava Dark Souls como um jogo, e sim como uma terapia. Claro que existem muitos outros jogos que me fazem sentir o mesmo, mas acho que nenhum o fez tão bem como o primeiro Dark Souls. E, no fim do dia, da madrugada, eu acabei adorando o jogo e jogos semelhantes a ele (mesmo não sendo o jogador mais habilidoso). Esse tipo de game me ajuda muito no dia a dia, e acho que não sou o único a me sentir assim. As vezes lembro quando jogava Super Mario Bros. ou F1 Race no meu falecido Dynavision (descanse em paz) e me pergunto se já naquela época os jogos me faziam sentir assim. Mas o único sentimento que me vem a tona daqueles tempos era o tanto que eu me divertia ao assoprar os cartuchos a fazer o velho Dyna ligar e rodar um Duck Hunt ou Excitebike.

5 – Diversão

Diversão é o aspecto principal que os jogos me passam. Seja quando me emociono, quando estou competindo (e perdendo), relaxando e esquecendo que tenho prova essa semana (melhor estudar daqui a pouco), controlando a ansiedade ou outros motivos que esqueci ou tive preguiça de citar. Em todos estes momentos, sinto também que estou me divertindo, e acho que no fim isso é o mais importante quando se joga. Eu me divirto passando pelas fases de Sonic, mesmo que não consiga acompanhar com os olhos o que está acontecendo. Também me divirto quando o game me apresenta um enredo cheio de bons personagens e reviravoltas. Apesar de não ser um bom competidor, também me divirto competindo com meus amigos, principalmente quando venço.

Imagem

Olhei no espelho e me vi de bigode, nariz grande e pança, Finalmente me tornei um personagem de vídeo game!


Uma pena que ás vezes esqueço disso quando jogo, e acabo me frustrando e ficando com raiva do maldito jogo, recentemente com Dead Cells e Slay the Spire. Mas são sentimentos passageiros, geralmente derivados de algum acontecimento da vida que acaba se transportante para os jogos. Espero que assim como antigamente, eu possa me divertir mais com os games, assim como fazer todo o resto que já falei. Afinal, como um amante dos vídeo jogos, não posso ficar um dia longe deles, então a melhor opção é que essa relação entre mim e eles seja boa. Afinal, momentos ruins, nós já temos de sobra fora do mundo virtual.

Obrigado por lerem. Este foi o primeiro post do nosso blog.

Deixem suas opiniões e os motivos pelos quais vocês jogam nos comentários.

Até o próximo!

Fonte: Stt/Game/Blog

Comentários

07 Mar, 2019 - 23:12

1810 Views

Comentários

Notícias