Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Jogo sobre estupro promete ser a próxima polêmica do Steam

Após afrouxar as regras de publicação no Steam, a Valve está novamente no meio de uma polêmica e o responsável é um jogo de estupro chamado Rape Day.

Com tantos games chegando ao Steam semanalmente, a Valve sempre teve um problema com o que deveria ou não ser vendido em sua loja. A situação mudou na metade do ano passado, quando após banir um jogo que nos permitiria realizar tiroteios em uma escola, a empresa decidiu lavar as mãos e deixar a decisão nas mãos dos jogadores.

Com a mudança na sua política, todos sabiam que era apenas uma questão de tempo até que alguém jogo surgisse para colocar essa liberdade em teste e aquele que está fazendo isso atende pelo nome Rape Day. Podendo ser descrito como uma história interativa com personagens pessimamente renderizados, no game assumiremos o papel de um serial killer que, durante um apocalipse zumbi, se vê no cenário ideal para "assediar verbalmente, matar e estuprar mulheres" que encontrar pelo caminho.


Imagem

Ainda de acordo com a descrição do jogo no Steam, "aquele é um mundo perigoso sem leis. Os zumbis adoram comer carne quente de humanos e violentá-los brutalmente, mas é você o estuprador mais perigoso da cidade." Por fim, o desenvolvedor ainda explica que a sua criação não contará com qualquer tipo de atividade que nos faça perder tempo, nos permitindo "pular as preliminares e aproveitar o nosso Rape Day, pois merecemos".

Já no site dedicado ao título, o criador defende que assim como os assassinatos se tornaram comuns na ficção, o mesmo deveria acontecer com os estupros e que como ele não burlou nenhuma regra, tendo deixado claro desde o início que se tratava de algo para o público adulto e de nicho (inclusive citando sociopatas em outra mensagem), não acredita que o título possa ser banido da loja.

Pois é justamente essa parte de desafiar o que pode ser considerado legal que deverá causar muitas discussões em relação ao Rape Day. Em sua última atualização no Steam o sujeito conhecido como Desk Lamp afirma que no momento o jogo está passando pelo processo de avaliação da loja e que devido ao conteúdo sexual presente nele, é possível que o título seja considerado ilegal em alguns países.

Imagem

Oras, o conteúdo sexual a que ele se refere se trata de assassinato e estupro, então não precisa ser um especialista para saber que evidentemente tais atos não são bem vistos por todo o mundo. Tal afirmação só ajuda a mostrar o quão absurdo é este jogo, que assim como outras aberrações que surgiram na indústria ao longo dos anos, parece ter sido feito apenas para provocar e irritar algumas pessoas.

O curioso é que ao mesmo tempo em que o autor não enxerga problema em lançar um jogo eletrônico com essa temática, ele achou mais prudente remover uma das cenas que faria parte da história. Nela veríamos a morte de um bebê, o que o criador admitiu que poderia ser considerado exploração infantil e por isso ele pediu desculpas caso a ideia tenha causado sofrimento a alguém.

Imagem

E como era de se esperar, o fórum dedicado ao game no Steam já está repleto de mensagens e discussões, com algumas pessoas pedindo que o Rape Day nem chegue a ser lançado, enquanto outras argumentam que o estupro sempre foi visto em outras mídias, que tudo não passa de um jogo ou que apenas as feministas estão criticando.

Como já disse em outra ocasião, acho que a Valve está correta quando diz que deve caber ao jogador escolher aquilo que merece ser consumido. Por outro lado, ao permitir que um jogo como este seja vendido, será que a imagem negativa que o acompanha compensa a tentativa de levantar uma bandeira de que eles querem ser uma loja aberta a todos?

Imagem

Sei que serei bastante criticado pelo o que direi, mas como sou incapaz de enxergar arte em um título como este, onde existe um contexto ridículo para o jogador realizar tais atos e que como o próprio autor explicou, foi feito para pessoas com dificuldade em seguir as normas da sociedade, acredito que o Steam deveria evitar esse tipo de exposição. Que deixem o sujeito procurar outro lugar para vender o seu "simulador pós-apocalíptico de estuprador", até porque não será algo tão repugnante que tornará a loja maior do que já é.

Atualização: e diante da grande repercussão que o caso tomou, há pouco a Valve tomou a atitude mais sensata, anunciando que o jogo não será lançado no Steam. Em nota eles disseram:

"Grande parte de nossa política em torno do que distribuímos é, e deve ser, reacionária — nós simplesmente temos que esperar e ver o que nos é enviado através do Steam Direct. Nós então temos que fazer um julgamento sobre qualquer risco que seja posto à Valve, aos nossos parceiros desenvolvedores ou aos nossos clientes. Após uma significativa checagem de fatos e discussões, achamos que o 'Rape Day' representa custos e riscos desconhecidos e, portanto ele não estará no Steam.

Respeitamos o desejo dos desenvolvedores de se expressarem e o propósito do Steam é ajudar os desenvolvedores a encontrar um público, mas esse desenvolvedor escolheu um conteúdo e uma maneira de representá-lo que torna muito difícil para ajudá-lo a fazer isso."


Fonte: Polygon

Comentários

07 Mar, 2019 - 13:48

9156 Views

Comentários

Notícias