Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

10 franquias esquecidas dos games que deveriam voltar!

Sonhar não custa nada, né?

Imagine uma série de games que você ama mais do que todas as outras. Agora, imagine que você está há mais de 10 anos sem nenhum jogo novo dessa série, nem ao menos uma notícia ou novidade pra te deixar com esperança de vê-la de novo. É triste, não é?

Alguns de vocês não precisam nem mesmo imaginar, já se sentiram dessa maneira antes ou estão se sentindo assim neste exato momento. É muito difícil ter que admitir que sua franquia preferida está deixada de lado, e mais difícil ainda lidar com a ideia de que talvez ela permaneça assim. Mas nós já vimos retornos esperados antes que nos pegaram de surpresa, então por que não sonhar com a volta daquela sua série de games do coração?

Nesta lista, vamos ser otimistas um pouquinho e falar sobre algumas franquias que estão esquecidas, seja pelo público ou pela própria empresa. Digo bora?



Rival Schools

Quando se fala em jogo de luta da Capcom, a primeira coisa que qualquer ser humano normal e sensato pensaria é em Street Fighter, uma das joias da coroa da empresa japonesa. Mas existe uma outra série de fighting games feita por ela, mas que recebe bem menos amor: Rival Schools.

A série teve apenas dois jogos, Rival Schools: United by Fate, de 1997, e Project Justice, de 2001, e desde então nunca mais se viu um jogo novo dessa franquia.

Para efeito de curiosidade, Rival Schools se passa no mesmo universo que Street Fighter e seus personagens de vez em quando são vistos fazendo participações especiais nos jogos da maior série de luta da Capcom.



Gradius

Esta franquia da Konami é uma referência do gênero Shmup - o popular "navinha" - e influenciou praticamente todos os jogos deste estilo que vieram depois dele. É uma das séries mais amadas do gênero, sobretudo no japão.

Foi extremamente popular durante toda a década de oitenta e noventa, ganhando vários spin-offs, como Life Force, Parodius e Otomedius. Contudo, depois de Gradius ARC, um rpg tático para celulares lançado em 2010, a franquia sumiu de vez.

Infelizmente, dada a atual situação da Konami, não existe quase nenhuma esperança de vermos um novo jogo de Gradius tão cedo.



Alex Kidd

Os mais novinhos talvez não saibam disso, mas a Sega já teve um mascote antes do Sonic. Era o Alex Kidd, um simpático garotinho que estrelou vários jogos de plataforma nos anos 80.

Foi um personagem extremamente popular no Brasil, país onde o Master System reinou por vários anos como o vídeo game mais vendido. Como o jogo estrelado pelo príncipe de Radactian vinha na memória do console, muita gente jogou e se lembra com saudade dele.

O último jogo da série foi Alex Kidd in Shinobi World, de 1990, uma paródia de Shinobi, outro grande sucesso da Sega. Um ano depois surgiu o Sonic e o personagem foi aposentado de vez, aparecendo apenas como convidado especial em alguns poucos jogos da empresa.



Bloody Roar

Mais uma franquia de luta na lista! Criada pela Hudson Soft, a mesma da série Bomberman, Bloody Roar tinha um diferencial bacana em relação a outros jogos de luta: a possibilidade de transformar seu lutador numa fera incontrolável no meio do combate.

O último game da série foi Bloody Roar 4, que saiu para Playstation 2 em 2003. A Hudson Soft encerrou suas atividades em 2012, sendo absorvida pela Konami, que como já dissemos aqui, não anda lá numa fase muito boa, então parece que não veremos um novo jogo da série pintando num futuro próximo. Ou distante.



Half Life

Essa talvez seja a rainha de todas as franquias ignoradas por suas empresas. A falta de atenção da Valve é tão grande que Half Life se tornou um meme recorrente na internet quando se fala em histórias sem conclusão. Uma triste lembrança para todos os fãs.

Apesar disso, muita gente espera firme e forte, na fé que um dia Half Life 3 será lançado e encerrará a história de Gordon Freeman de uma vez por todas.

Eu espero como você espera um disco voador.



F-Zero

Quem disse que a toda-poderosa Nintendo não tem franquias esquecidas? F-Zero, a série de corrida que deixou todos os donos de Super Nintendo atônitos com seus gráficos impressionantes para a época, teve alguns jogos novos lançados ao longo dos anos, mas não anda recebendo muita atenção da Big N... há quase 15 anos.

Pra vocês terem uma ideia, o último jogo da série foi lançado quando o console da vez da empresa ainda era o Gamecube. Falta amor no coração da empresa do encanador para com a sua única série de jogos de corrida.

Pelo menos o Capitão Falcon, herói de F-Zero, ainda é lembrado em Super Smash Bros, fazendo aparições recorrentes a cada novo jogo da série.



Mega Man X

A versão (ainda) mais futurista e séria do Mega Man é uma das séries mais famosas da Capcom e também uma das que tem os fãs mais ardorosos. Mas toda essa popularidade não fez com que a empresa lançasse um jogo novo nos últimos anos, algo que muita gente espera desde 2004, ano de lançamento de Mega Man X8.

Mas a esperança existe. Em 2018 foi lançada uma coletânea com todos os jogos da série X, bem como Mega Man 11, que recebeu excelentes críticas e vendeu muito bem. A Capcom já se pronunciou antes dizendo que um novo jogo da série, incluindo a série X, dependeria principalmente das vendas de Mega Man 11, então ainda podemos ter fé de que veremos um novo game muito em breve.



Shinobi

O Ninja da Sega já foi estrela de grandes aventuras no Mega Drive, mas que o tempo do console de 16 bits da Sega passou, apenas uns poucos games da série foram feitos para diferentes consoles.

Tivemos uma tentativa de revival em 2002 com um game para Playstation 2, mas o level design pobre e a dificuldade injusta não ajudaram o game a entrar no coração dos jogadores. Mais uma tentativa foi feita em 2011, dessa vez no 3DS, que apesar de apresentar uma proposta interessante, mais uma vez fracassou.

Mas bem, se até Streets of Rage está voltando, talvez haja esperança para o ninja Joe Musashi, certo?



Contra

Em Contra, você, acompanhado ou não de um amigo, controlava um destemido soldado munido de uma metralhadora turbinava e tinha uma missão simples: explodir tudo o que se movesse. Um verdadeiro avatar da destruição. Era grudar o dedo no botão de tiro com fita adesiva e tomar cuidado pra não ser morto, porque tal qual a vida real, tomou um tiro, já era.

Essa já foi uma das franquias de ação mais divertidas, queridas e difíceis dos vídeo games, mas que não vê um game novo desde Contra 4, lançado para o Nintendo DS em 2007. Uma sequência espiritual chamada Hard Corps: Uprising foi feita pela Arc System Works em 2011, mas não foi o bastante para reviver a série de ação.

Assim não dá pra te defender, Konami.



Road Rash

Bem antes de Fifa e Battlefield, a Electronic Arts já tinha uma franquia de sucesso pra chamar de sua, Road Rash. A proposta do jogo era simples: em uma corrida de motos, tire o primeiro lugar e vença. Se conseguir sobreviver até cruzar a linha de chegada, é claro, porque aqui o lance era desleal.

Valia chutar a moto do concorrente, socar o adversário, atingir o piloto rival com armas brancas e todo tipo de coisa que daria uma cadeia braba na vida real, mas que é divertidíssimo de fazer nos games.

Estamos há quase 20 anos sem uma nova versão do game, desde Road Rash: Jailbreak para Playstation, e não há nenhum indício de que a série possa voltar a vida. Com as críticas negativas e as vendas abaixo da média de Battlefield V, talvez seja hora de a EA voltar ao passado e desenterrar mais essa série pra gente.

Fonte: Legiaodosherois

Comentários

12 Jan, 2019 - 21:34

1951 Views

Comentários

Notícias