Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

XCOM: Enemy Within é a primeira expansão para o excelente Enemy Unknown



Logo quando você pensava que finalmente tinha perdido o vício, a Firaxis volta com tudo para que mais uma vez você perca dias e noites matando alienígenas estrategicamente. Em novembro, o incrível XCOM: Enemy Unknown, vai finalmente ganhar sua primeira grande expansão, chamada de XCOM: Enemy Within.

O pacote já até ganhou um teaser, como de costume, narrado pelo comandante-sem-rosto (mas com um terno incrível) das forças especiais anti-ETs. Vamos dar uma olhada:




Antes de esmiuçarmos os pormenores, é bom avisar algumas informações básicas: a expansão deve chegar dia 12 de novembro para PC, Xbox 360 e PS3. No PC, o pacote deve funcionar da mesma maneira que as expansões de Civilization V, que acabam tomando o lugar do jogo original. Nos consoles, as coisas são um pouco mais complicadas: Enemy Within deve ser lançado como um game separado. Ele vai custar US$ 29,99 no PC e US$ 39,99 nos consoles. A versão para console também deve vir com os dois DLCs Elite Soldier e Slingshot já lançados para Enemy Unknown.

Semana passada, eu conversei com o chefe de design de Enemy Within, Ananda Gupta. Deixei organizado em uma lista aqui embaixo tudo o que eu descobri sobre o novo XCOM.

[align=justify] O ritmo da campanha não vai ser muito diferente da de Enemy Unknown. Grande parte do que o Gupta me contou envolvia as batalhas terrestres, incluindo alguns ajustes na tropa que você usa durante as lutas por turno. Ele também me disse que teríamos algumas mudanças no cenário de guerra mundial do jogo, mas não entrou em muitos detalhes.

O fim do jogo não deve ser muito diferente do original, apesar de que as novas unidades dos alienígenas devem aparecer durante as invasões às naves inimigas. De forma geral, o "arco" narrativo deve se manter o mesmo.
[/align]

Imagem

  1. Os humanos vão ganhar dois novos tipos de unidades: os soldados MEC e os soldados geneticamente modificados – sim: MEC significa que os seus soldados agora podem usar roupas cibernéticas tipo mechs. Essas armaduras devem ser desenvolvidas em laboratórios específicos da nova expansão.
  2. Tanto os MECs quanto os soldados geneticamente modificados não vão ser como os soldados com poderes psiquicos que já estão no jogo. Você ainda deve enviá-los aos laboratório para serem modificados, mas não precisam passar por aquele maldito teste de aptidão.
  3. Tem também um novo recurso para ser explorado na sua base chamado de Meld, que é essencial para construir os novos laboratórios e também outros aspectos de Enemy Within que o Gupta não queria discutir no momento. Latas de Meld podem ser encontradas pelos mapas, e cada unidade será ligada a um contador. Se o contador chegar no zero antes de um soldado conseguir recuperar a lata, o Meld simplesmente vai se auto-destruir. O Gupta descreveu esse novo sistema como uma forma de reestruturar os antigos cenários, uma vez que você será forçado a jogar menos cuidadosamente para coletar todo o Meld.


Imagem

  1. Os alienígenas também vão ganhar duas novas unidades. Uma delas é o "Mechtoid", que basicamente é um Sectoid usando – é claro – uma armadura de mecha. Da hora!
  2. Vamos ter vários mapas novos também (especificamente 47 a mais, segundo o material preparado para a imprensa), como você pode ver em algumas das fotos aqui embaixo. Gupta disse que os novos cenários serão misturados com os antigos, mas o código do jogo deve favorecer muito mais os mapas da expansão – principalmente para que você sinta realmente que está jogando o novo Enemy Within.


Imagem

  1. Também teremos um monte de mapas para o multiplayer, e a Firaxis também vai implementar um modo de edição de esquadrão offline, o que significa que você vai poder organizar os seus soldados antes de qualquer coisa. Não joguei muito do multiplayer de Enemy Unknown, mas o Gupta disse que essa foi uma das mudanças mais pedidas pelos jogadores.
  2. De um jeito muito bacana, agora você pode configurar a língua dos seus soldados. Gupta disse que recebeu muito feedback dos jogadores dizendo que, apesar do ambiente internacional amigável de cada esquadrão de XCOM, era um pouco perturbador que todo mundo falasse com um sotaque americano. Eles já gravaram o áudio de seis línguas: francês, italiano, alemão, espanhol e polonês. Por enquanto, ainda não temos japonês ou chinês, mas mesmo assim, é um atitude bem interessante.


Imagem

  1. Não há planos para levar Enemy Within para iOS, apesar do lançamento recente de Enemy Unknown para os aparelhos da Apple.
  2. O título, "Enemy Within" [ou "o inimigo de dentro", em português], se refere ao fato que, graças ao Meld e às modificações genéticas, os soldados agora estão colocando pedaços dos inimigos dentro de si mesmo. Não sabemos se isso vai significar efeitos colaterais para os soldados, mas do jeito que as coisas são frias e simples em XCOM, isso não é muito provável. Mas vai saber!
  3. Teremos novas músicas (eba!), algumas delas compostas por Michael McCann e outras pelo designer de som da Firaxis, Roland Rizzo, o cara responsável pelo som maravilhoso do primeiro jogo.


Imagem

  1. Infelizmente, ao contrário das expansões de Civ V, não vamos ter uma nova introdução cinematográfica para Enemy Within. Gupta disse que eles ficaram muito chatados com essa decisão, mas eles simplesmente não tinham orçamento para tal. Dito isso, acredito que as pessoas se preocupam mais com a qualidade do jogo do que com a animação de introdução.
  2. Em geral, o Gupta estava confiante de que Enemy Within vai parecer algo totalmente novo. Eu digo isso porque quando perguntei ao designer sobre o assunto, ele me respondeu: "Vai parecer algo novo pra caramba".
  3. Ainda não vamos ter mapas gerados aleatoriamente, e pelo andar da carruagem, isso não deve acontecer no futuro também. Parece que essa tecnologia seria muito complicada de implementar, e a ideia foi pro saco logo no começo do desenvolvimento de Enemy Unknown.


Imagem

  1. Felizmente, Enemy Within vai ser um tanto mais aberto para a comunidade modder. Gupta disse que eles fizeram com que o game fosse mais fácil de ser editado, já que agora XCOM virá em um arquivo .ini, que normalmente é usado para fazer mods. Segundo Gupta, assim é mais simples. Apesar de que ele não pôde falar sobre os planos de abrir o jogo ainda mais no futuro (ou mesmo sobre a possibilidade de dar suporte ao Steam Workshop, assim como Civ V), a sensação que eu tive é que seria extremamente complicado re-estruturar o código para poder fazer esse tipo de coisa.


E é isso aí. Fico muito feliz de saber que temos mais razões para jogar XCOM de novo, e os novos elementos propostos pela Firaxis parecem realmente bons. Até agora, no entanto, parece que a expansão ainda não tem aquele item que faz a gente falar, "Nossa, eu preciso muito disso!", que acaba elevando todo o pacote para muito além de apenas novas unidades e ferramentas dentro do jogo. Mas existe a possibilidade da Fireaxis ainda não ter revelado todos os seus planos para Enemy Within. E quando você tem um jogo tão bom quanto Enemy Unknown para se trabalhar em cima, um simples pacote com novos elementos já é o bastante para convencer as pessoas de que é uma boa ideia. De qualquer forma, estou ancioso para quando Enemy Within sair, em novembro.

Vou terminar aqui com mais algumas imagens da expansão, enviadas diretamente do pessoal da Firaxis.


Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

Fonte: Kotaku

Comentários

01 Set, 2013 - 11:02

2042 Views

Comentários

brunossj3 04 Set, 2013 09:51 1

Aqui deve sair a umas 50 pilas

in_darkness 01 Set, 2013 21:06 1

Só aguardando a tradução para jogar o XCOM: Enemy Unknown

Ioryogi 01 Set, 2013 12:16 1

Curti muito o EU, mas se entendi direito vai custa 30 Obamas no PC? Meio salgado pra um DLC hein... Parece bacana oq eles querem adicionar, eu até compro, mas por esse preço ai fica dificil :\

pc_extreme 01 Set, 2013 12:03 2

preciso da tradução desse jogo !!!!
Urgente !!! kkkkk

Notícias