Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar
9.0
Análise de Resident Evil 2 Remake de Tribo Gamer

Descubram se vale a pena regressar a Raccoon City para este remake total de Resident Evil 2.

Foi há 21 anos que os jogadores percorreram as ruas - e os quarteirões - de Raccoon City pela primeira vez, com Resident Evil 2 para PlayStation, um jogo que muitos consideram ser um dos melhores da saga. Agora, a 25 de janeiro, será lançado um remake completo desse jogo, para PC, PS4, e Xbox One. Trata-se sobretudo disso, de um remake, e não de uma remasterização. Qual a diferença? O remake implica que o jogo foi todo refeito de raiz, e no caso de Resident Evil 2, isso implica design, grafismo, vozes, e jogabilidade. Tudo é novo nesta versão, excepto o conceito, os eventos, e a história - essa base mantém-se.

Os fãs do original vão reconhecer pontos narrativos, localizações, personagens, e puzzles, mas para todos os efeitos é um jogo novo, perfeitamente modernizado e atual. É, talvez, o melhor remake que já vimos, tal é a qualidade do trabalho feito pela Capcom, que ainda acrescentou algumas surpresas e mudanças para manter os jogadores em suspense, até os que já conhecem bem o original.

Imagem

A história é exatamente a mesma, ou seja, vão encarnar Leon Kennedy ou Claire Redfield durante uma epidemia de zombies em Raccoon City. Leon é um policial novato, que acabou de ser transferido para a esquadrão de Raccoon City, enquanto que Claire procura o irmão, Chris Redfield, um dos protagonistas do primeiro jogo. As duas campanhas decorrem em simultâneo, e existem momentos em que se cruzam, mas vão percorrer áreas diferentes, lutar com inimigos diferentes, e encontrar personagens diferentes. Para todos os efeitos, são duas campanhas num só jogo. Então, o que mudou entre o original e o remake?

Um dos elementos que mais distinguiu Resident Evil 2 foi a introdução de Mr. X, um Tyrant virtualmente indestrutível que seguiu o jogador durante grande parte da aventura. Mr. X está novamente presente neste remake, bem como a maioria dos bosses do original. Mais, a progressão da história é também muito semelhante, o que significa que da esquadra vão passar para o laboratório.

Imagem

Como já referimos, a maioria das personagens está de regresso, embora possam ter mais a oferecer ao jogador. O vendedor da loja de armas, por exemplo, que vão visitar antes de seguirem para o quarteirão, tem uma história bem mais emocional para partilhar com o jogador. A Capcom reforçou o desenvolvimento destas personagens, e também os diálogos, que são agora mais credíveis e interessantes.

Todas as personagens têm novas vozes e captura de movimentos, o que as torna mais relacionáveis, mas isso também é possível graças ao novo motor gráfico. Resident Evil 2 é visualmente impressionante, apresentando um dos melhores grafismos que já vimos. Outra grande mudança reside nos cenários. Enquanto que o original mostrava cenários pré-renderizados em 2D (pinturas, essencialmente) com ângulos de câmara fixos, Resident Evil 2 apresenta cenários 3D totalmente detalhados, e mais importante que isso, acabou com os ângulos fixos da câmara.

Resident Evil 2 funciona agora como um jogo de ação na terceira pessoa com câmara em cima do ombro, mais semelhante a algo como Resident Evil 5, por exemplo. Podem até escolher entre três tipos de jogo: Assistido, Normal, e Hardcore. Em assistido, o jogo facilita imenso a tarefa de apontar a arma, enquanto que Normal está mais próximo de uma experiência tradicional de ação na terceira pessoa. Já Hardcore é mais exigente, e até requer que os saves usem tinteiros, como o original.

Imagem

Os efeitos luminosos, de grande qualidade, também acrescentam muito à atmosfera e à jogabilidade. Existem momentos em que as salas estão praticamente escuras, e tudo é iluminado pela lanterna do jogador. A isso acrescentem barulhos e grunhidos, e têm a receita para alguns momentos de tensão. Mais do que terror psicológico, Resident Evil 2 é um jogo de terror direto, de sustos baratos, e existem vários.

A maioria dos inimigos que vão encontrar são zombies na verdadeira ascensão da palavra, e estão estupendos. Talvez sejam os melhores que já vimos num jogo, não só graficamente, mas até a nível de comportamento. A forma como tentam desesperadamente chegar ao jogador, mesmo depois de perderem membros, é impressionante, e matá-los de vez é particularmente complicado. E mesmo que matem todos os zombies de uma área, não pensem que estão seguros, porque eventualmente vão aparecer mais através de janelas partidas ou portas.

Imagem

Quando terminarem uma campanha, podem recomeçar a outra campanha com outra personagem, o que significa que existem quatro variações da história. Leon e Claire lado A, e Leon e Claire no lado B, como no original. Tradicionalmente, contudo, devem jogar Leon no lado A, e Claire no lado B. Das duas campanhas, acabamos por gostar um pouco mais da campanha de Claire, sobretudo por causa das localizações que visita e das personagens que encontra.

Também temos de referir as muitas surpresas que a Capcom escondeu no mapa, como referências a eventos ou a situações do original, além de existirem fatos extra para desbloquearem - incluindo o de Elza Walker, a personagem jogável do infame Resident Evil 1.5 que foi substituída por Claire em Resident Evil 2.

A premissa do original continua a ser interessante, mas jogada através de um grafismo e de uma jogabilidade modernas, torna-se bem mais imersiva e impressionante. Resident Evil 2 é um survival horror estupendo, obrigatório para qualquer fã do original, ou para quem simplesmente aprecia o gênero.

Imagem

Prós

  1. Grafismo fantástico.
  2. Excelente design dos zombies.
  3. Algumas surpresas para quem jogou o original.
  4. Atmosfera soberba.


Contras

  1. Final é algo abrupto.

Fonte: Gamereactor

0 Comentários

23 Jan, 2019 - 18:19

1907 Views

9.0

Como você avalia o Resident Evil 2 Remake?

0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Escrever Análise

Comentários