Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar
7.0
Análise de Batman: The Enemy Within de Tribo Gamer

Um mundo cada vez mais cinzento

Como qualquer boa história no universo Batman, The Enemy Within, a segunda temporada do esforço da Telltale no universo da DC, está no seu melhor quando coloca o seu foco nos intervenientes da ação, mais concretamente naqueles que operam no lado errado da lei. Em What Ails You, o quarto e penúltimo capítulo desta fornada de episódios, esta máxima volta a estar em evidência e é também por isso que, após ser concluído, este acaba por se fixar como o ponto mais baixo da temporada até ao momento.

Não é, de todo, um episódio fraco e existe muito para desfrutar durante as suas quase duas horas de duração, mas falta-lhe algo mais para nos manter investidos na sua narrativa e nas suas personagens. A primeira metade é especialmente desapontante devido ao ritmo lento que apresenta. Como já referi inúmeras vezes em análises a capítulos de jogos episódicos, o ritmo lento não é necessariamente um ponto negativo, mas é preciso que as ações que pautam esses momentos de calma sejam cativantes.

É aqui que What Ails You nem sempre é bem sucedido, especialmente durante a primeira hora. Sim, existe uma sequência de ação bem coreografada que nos relembra que estamos a jogar um título protagonizado pelo Cavaleiro das Trevas, mas as interações com os antagonistas são escassas e o episódio sofre com isso. Ter Bruce Wayne infiltrado no grupo de vilões durante os capítulos anteriores foi essencial para assegurar que todos os momentos eram suportados por diálogos interessantes e dinâmicas que agarravam permanentemente a nossa atenção.

Imagem

Harley Quinn, discutivelmente o ponto mais alto da temporada, tem uma presença estranhamento reduzida neste capítulo, muito embora todo o seu arco narrativo esteja no centro do episódio. Os restantes membros do Pact também são algo ignorados, apesar de Mr. Freeze ter finalmente uma oportunidade de brilhar, estando igualmente envolvido num dos vários momentos de decisão que nos farão questionar e definir as morais do nosso próprio Batman.

Ainda assim, tal como o material promocional já deixava a entender, a verdadeira estrela da companhia é mesmo John Doe, personagem que começa a dar os primeiros passos até à metamorfização que todos os jogadores já estão à espera. É uma versão mais extremada da personagem aquela que temos neste episódio comparativamente aos capítulos anteriores, mas percebe-se que a Telltale fez um excelente trabalho na sua caracterização quando damos por nós a tentar conservá-lo como aliado quando já sabemos qual será o desfecho inevitável desta amizade improvável.

Imagem

Este protótipo de Joker tem também direito a um segmento verdadeiramente tenebroso e tenso que nos dá os primeiros sinais da sua instabilidade. Apesar de ser claramente inspirado em The Killing Joke, a aclamada graphic novel de Alan Moore, é uma sequência que vale pela atmosfera e pela forma como coloca em evidência o comportamento do jogador até então. É uma maneira inteligente de virar o feitiço contra o feiticeiro e colocar-nos como parte ativa no "nascimento" do vilão.

What Ails You merece também elogios pela direção em que leva o plano maquiavélico dos membros do Pact, evitando cair nos clichês habituais deste tipo de histórias e subvertendo com sucesso as nossas expectativas. Dito isto, é uma pena que essa linha narrativa não seja um pouco mais explorada neste episódio e, tendo em conta a sua conclusão, não estou totalmente certo que tal venha a acontecer no capítulo final da temporada.

Imagem

Mesmo sendo mais um capítulo de qualidade numa temporada que continua a ser um elevar significativo da qualidade comparativamente à fornada de episódios originais, a penúltima entrada de The Enemy Within não consegue evitar transmitir a sensação de que estamos perante um ponto de ligação até à sua épica conclusão. Existem aqui bons momentos e decisões que ajudarão a definir o código moral do nosso vigilante, mas também se nota a falta de alguns dos melhores elementos do conteúdo que veio antes.

Veredito

Citação: Apesar de alguns momentos cativantes com as suas personagens e decisões sem opção correta, o quarto episódio de Batman: The Enemy Within não consegue evitar a sensação de ser uma mera preparação para o grande final.


Pontos positivos

  1. Interações cativantes com algumas personagens.
  2. Narrativa segue direções inesperadas.


Pontos negativos

  1. Nem sempre consegue manter o ritmo.
  2. Presença escassa das suas melhores personagens.

Fonte: Pt/Videogamer

0 Comentários

25 Jan, 2018 - 15:30

853 Views

7.0

Como você avalia o Batman: The Enemy Within?

0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Escrever Análise

Comentários