Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Horror em Amityville: o que realmente aconteceu na famosa casa assombrada?

Se você é fã de filmes de terror, então deve conhecer o clássico "Horror em Amityville", certo? Conforme já contamos em uma matéria anterior aqui do Mega Curioso, o longa foi supostamente baseado na história real de uma família que decide se mudar para uma casa localizada na beira de um lago.

Só que essa residência havia sido palco de diversos assassinatos sangrentos no ano anterior, e logo que os novos moradores se instalam no local, fenômenos inexplicáveis teriam começado a ocorrer. Mas, afinal, o que realmente aconteceu na casa?

Os crimes

Os assassinatos aconteceram na noite do dia 13 de novembro de 1974, quando seis membros da família DeFeo foram mortos na casa, situada na 112 Ocean Avenue, no vilarejo de Amityville, em Nova York. Entre as vítimas estavam os pais, Ronald e Louise, e quatro filhos do casal, Dawn, de 18 anos, Allison, de 13, Marc, de 12 anos, e John, de 9. Todos foram mortos a tiros enquanto dormiam, e o único sobrevivente do massacre foi o filho mais velho, Ronald Jr. — cujo apelido era Butch —, de 23 anos.

ImagemOs irmãos DeFeo


Ronald e Louise levaram dois tiros cada um, enquanto os filhos do casal foram assassinados com um único disparo. Butch foi levado à delegacia para interrogatório e, apesar de negar seu envolvimento nos crimes em um primeiro momento, inconsistências em sua história levaram os policiais a pressioná-lo. Então, no dia seguinte, Butch confessou ter cometido os assassinatos.

ImagemOs crimes tiveram uma enorme repercussão na época


O rapaz foi julgado no ano seguinte e, durante o processo, seu advogado alegou que ele sofria de insanidade e que os crimes teriam sido motivados por vozes que Butch ouvia em sua cabeça. Um psiquiatra contratado para avaliar o jovem chegou a apoiar essa versão e diagnosticou o acusado — que também era usuário de drogas como LSD e heroína — com transtorno de personalidade antissocial.

ImagemButch quando foi preso pelas autoridades


No entanto, o especialista também disse que Butch sabia o que estava fazendo quando cometeu os assassinatos. Assim, no final de 1975, Ronald DeFeo Jr. foi considerado culpado dos crimes e condenado a seis penas consecutivas de 25 anos cada uma. Mas, havia algumas coisas estranhas relacionadas ao caso...

Inconsistências

As seis vítimas foram encontradas mortas em suas camas, e não havia nenhum sinal de luta nas cenas dos crimes. Além disso, as necropsias realizadas nos corpos não revelaram a presença de qualquer sedativo nos organismos dos integrantes da família, e Butch foi a única pessoa condenada pelos assassinatos.

ImagemA famosa casa na noite dos crimes


Os investigadores da época concluíram que a família estava dormindo no momento em que os assassinatos aconteceram. Entretanto, como Butch teria conseguido balear seus pais e quatro irmãos sem que ninguém na casa acordasse com os tiros e reagisse à matança? Teria ele contado com uma ajudinha sobrenatural — e muito maligna — no fim das contas?

ImagemUm dos corpos das vítimas sendo levado pelas autoridades


Butch fez várias confissões ao longo dos anos, e a mais consistente aconteceu no final do ano 2000, durante uma entrevista com Ric Osuna, autor de um livro sobre os assassinatos. Segundo Butch, seu pai era extremamente abusivo com a família, e Dawn, a irmã de 18 anos, foi quem teve a ideia de matar o pais. Ela estava especialmente irritada com Ronald, que a havia proibido de se encontrar com um namorado na Flórida.

Noite sangrenta

A ideia de matar a família surgiu na véspera dos crimes, enquanto Bucth e Dawn bebiam e usavam drogas com dois amigos no porão da casa. O rapaz disse que primeiro se negou a participar, mas acabou cedendo, e a dupla convidou o par de cúmplices para participar do massacre.

Então, enquanto um dos amigos ficou de guarda, o trio começou a matança por Ronald e Louise — que se encontravam na cama quando foram surpreendidos pelos tiros. Originalmente, o plano era assasinar apenas o casal e levar os irmãos à casa dos avós no Brooklyn. Mas a coisa acabou saindo do controle.

ImagemDiagrama mostrando como John, Marc, Allison, Louise e Ronald foram encontrados


De acordo com Butch, o amigo que estava com ele e Dawn se desesperou e fugiu do local e, enquanto ele foi atrás do jovem, sua irmã saiu matando o resto da família. Dawn teria decidido assassinar as crianças para eliminar testemunhas e evitar possíveis ameaças. Segundo disse, ela forçou Marc e John a deitar de bruços antes de atirar, e matou Allison com um tiro no rosto.

ImagemDiagrama que mostra como o cadáver de Dawn foi encontrado


Quando Butch retornou à casa e se deparou com a cena, ele e Dawn se envolveram em uma acalorada discussão que culminou em uma luta pelo rifle que ela empunhava. A moça desmaiou e, enquanto estava inconsciente em sua cama, Butch posicionou a arma em sua cabeça e disparou. Em resumo, nenhum espírito maligno ou entidade demoníaca teve participação nos crimes, e os dois supostos cúmplices nunca foram incriminados.

Mas, e o papo da assombração?

Depois de ser preso, como Butch perdeu o direito de herdar a residência da família, ela foi posta à venda e, apenas um ano após os crimes, George e Kathy Lutz compraram a casa e se mudaram para lá com os três filhos.

ImagemA família Lutz


Segundo a família, durante o tempo em que estiveram na casa, eles testemunharam aparições de figuras demoníacas, ouviram vozes de espíritos malignos, encontraram crucifixos invertidos pelos cômodos, presenciaram um sem-fim de atividades sobrenaturais e afirmaram ver uma meleca verde escorrendo pelas paredes. Os novos moradores, aterrorizados, decidiram abandonar o local apenas quatro semanas após terem ocupado a residência.

As experiências se transformaram em um livro de autoria de Jay Anson, que foi lançado em 1977, e que serviu de base para a produção do primeiro filme de terror sobre a casa, de 1979. No entanto, especialistas que investigaram o local e avaliaram as informações relatadas tanto pela família como nos arquivos policiais — e também no longa! — exaustivamente não encontraram nenhuma explicação razoável para os fenômenos.

Os Lutz mantiveram a versão de que suas experiências eram reais durante anos — período no qual eles ganharam uma verdadeira fortuna com os direitos sobre a história e os filmes baseados no caso. Mas a confirmação de que tudo não passava de armação aconteceu quando o advogado de Butch admitiu que a história de terror não passava de balela, e que havia sido inventada por ele e os Lutz com o auxílio de várias garrafas de vinho — mas sem a participação de nenhum fantasma.

Fonte: Megacurioso

Comentários

16 Mar, 2017 - 10:27

1854 Views

Comentários

Notícias