Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar
X

15 jogos [email protected] que provavelmente passaram despercebidos por você em 2016

Ser gamer não é fácil de vez em quando. Às vezes, nós temos dinheiro para comprar jogos, mas não o tempo; em alguns momentos, o contrário acontece; vez ou outra, até temos a grana, mas nada legal para pegar da prateleira. Porém, também é comum estarmos tão atarefados no dia a dia que deixamos passar alguns títulos magníficos, seja por perder a data de lançamento ou sequer ficar sabendo que aquele game existe.

Em 2016 não foi diferente, e aposto que há muitos jogos que você simplesmente deixou passar batido. Mas, calma, ninguém aqui está dizendo que a culpa é sua: o marketing pode ter sido ruim, o título pode ter sido ofuscado por algum grande lançamento (afinal, tivemos grandes obras nesse ano) ou pode ser que você nem tivesse a plataforma na época – e acabou nem dando bola.

Para você, quais foram os jogos mais subestimados e que passaram batidos em 2016?

Porém, fique tranquilo! Vamos recapitular alguns dos melhores (desculpe, pessoal... mas não tem como colocar todos nessa pequena lista) jogos de 2016 que provavelmente passaram fora do seu radar ao longo do ano. Como a seleção não é grande, já deixamos o convite: cite nos comentários alguns dos games menos conhecidos que são muito bons e saíram neste ano. Confira a nossa lista:

1 – SUPERHOT

Muita gente aqui provavelmente nunca nem ouviu falar desse FPS. Trata-se de um shooter minimalista que combina ação com puzzle a cada movimento, literalmente. Achou estranho? Vamos explicar. Em SUPERHOT, o tempo está sempre parado, mas toda vez que você anda, ele volta ao normal. Se você caminhar lentamente, ele passará em câmera lenta. Dessa forma, você deve dar cabo dos inimigos e desviar de balas com muita estratégia em uma experiência bem única e original.




2 – The Witness

Se você leu alguma análise de The Witness, provavelmente deve ter ouvido por aí o quão bem falado esse título esteve na mídia. Trata-se de um jogo em primeira pessoa e com um mundo aberto recheado de puzzles (e apenas puzzles) que o desafia de maneira extremamente inteligente ao inserir lógicas progressivas e muitos mistérios que farão você refletir. Além de ter uma atmosfera linda, o jogo é um prato cheio para quem gosta de quebra-cabeças e dezenas de horas de exploração.



3 – Enter the Gungeon

Talvez você tenha visto um vídeo ou outro, ou quem sabe algum amigo seu jogue na Steam. De uma forma ou de outra, Enter the Gungeon é um dos jogos mais divertidos de 2016, mas pouca gente comentou sobre ele. O game é um shooter com vista isométrica com muito desafios, dungeons procedurais e ação desenfreada de dar gosto. De uma forma resumida, é como se Hotline Miami se juntasse a The Binding of Isaac. O único problema aqui é que o coop é apenas local, portanto, nada de jogar online com os amigos.



4 – XCOM 2

A franquia XCOM foi revivida na sétima geração com um game de muito sucesso comercial e de críticas. As avaliações do segundo título foram soberbas e o jogo ganhou até mesmo uma versão para consoles. Porém, quantos daqui chegaram a jogar XCOM 2? A obra de estratégia pode não agradar o gosto de todo mundo, mas trata-se de uma das melhores opções para o gênero, trazendo dezenas de horas de conteúdo.

ImagemXCOM 2

5 – Bravely Second: End Layer

Muita gente diz que o velho e bom RPG de turno está morto, mas Bravely Second chegou chutando bundas para mostrar que isso não é verdade. Final Fantasy XV saiu no final do ano com muito combate frenético e ação desenfreada, mas o segundo game da série Bravely também despontou em 2016 para mostrar que o sucessor espiritual dos antigos Final Fantasy ainda vive e com muito fôlego. Certamente, um dos melhores RPGs dos últimos tempos e uma compra obrigatória no 3DS.

ImagemBravely Second

6 – Firewatch

Esse é para quem gosta de narrativas e uma história tocante e marcante. Firewatch chegou de fininho no começo do ano e deu o que falar com um enredo cativante, direção de arte soberba e dublagem magnífica. Contudo, o baixo fator replay fez muita gente dar uma pensada ou esperar uma promoção. Se você é fã de roteiros esplêndidos e um bom mistério, esse game é uma das melhores opções de 2016.

ImagemFirewatch é tocante e espetacular, apesar de curto

7 – The King of Fighters XIV

Ok, parece um game incomum para essa lista, mas vamos ser sinceros: Street Fighter V ganhou os holofotes em 2016 (não estamos falando que é melhor, ok?) e deixou pouco espaço para The King of Fighters XIV, que recebeu muitas críticas a respeito da direção de arte. No entanto, se ele faz parte dessa lista é porque é bom, não é mesmo? O jogo foi bem em algumas análises. Porém, o marketing e divulgação no Brasil foram quase nulos e pouca gente teve contato com o game. Em breve a obra ganhará um retrabalho gráfico e pode ser uma boa opção para os fãs de jogos de luta.



8 – Owlboy

Owlboy é um daqueles jogos que você nunca ouviu falar até o lançamento, que chegou sem fazer alarde e surpreendeu quando a crítica deu notas altíssimas para a experiência. Trata-se de uma aventura em 2D que demorou muitos anos para ficar pronta e traz diversos elementos de plataforma e ação para os saudosistas de plantão. Além disso, a direção de arte e trilha sonora soberba são a cereja do bolo para encantar qualquer um.

ImagemOwlboy

9 – Stardew Valley

Stardew Valley é um dos jogos que chegou para um público de nicho e pouco a pouco foi ganhando bastante atenção no mercado. Trata-se de um game excelente para quem gosta do gênero "simulador" (ou Tycoon), adorava os antigos Harvest Moon e até hoje não achou um título parecido para suprir a carência. A estética 2D, os elementos de RPG (como quests e crafting) são muito atraentes para os amantes do gênero e com certeza valem a pena na composição geral da obra.



10 – Far Cry Primal

Outro título que parece meio estranho de se colocar na lista, mas que talvez muita gente tenha deixado passar batido. Com sinceridade, você lembrava que Far Cry Primal tinha saído nesse ano? Apesar de parecer apenas um spin-off, o jogo conta com muitos elementos bons e marcantes que fazem total sentido quando colocados na pré-História. O game ganhou boas notas em geral nas reviews mundiais.



11 – I Am Setsuna

O sucessor espiritual de Chrono Trigger certamente tinha muita coisa para dar certo, e deu. I Am Setsuna é um jogo independente que bebe muita inspiração do clássico jogo da Square (agora Square Enix) e traz um cenário fantástico, uma trilha sonora soberba e um gameplay que agrada qualquer fã que está carente de um bom e velho RPG.



12 – Shadow Tactics: Blades of the Shogun

A sua primeira pergunta pode ser: que raios de jogo é esse? De forma bem despercebida, Shadow Tactics chegou como um ninja na surdina aos 48 do segundo tempo para mostrar que o gênero de jogos de estratégia em tempo real, como Comandos e Desperados (que não têm um título há muito tempo), ainda vive e pode muito bem se encaixar em 2016. Com trilha sonora e direção de artes absurdamente bem-feitas, trata-se de uma das melhores obras de estratégia dos últimos anos, contando com uma ambientação pouco explorada pelo gênero: o Japão feudal.



13 – Monster Hunter Generations

Quem é fã da série Monster Hunter sabe: o tempo entre um título e outro costumava ser grande. Com a anualidade da franquia e sem um grande número "5" estampado na capa, muita gente pode ter deixado passar Generations. Se você já gastou centenas de horas em Monster Hunter 4 Ultimate, talvez seja hora de relembrar que existe um outro game da franquia já feito e só está esperando por você. O jogo traz a melhor seleção de monstros da série e um combate ainda mais refinado.

ImagemMonster Hunter Generations

14 – Darkest Dungeon

O gênero roguelike é um que tem ganhado bastante atenção, mas Darkest Dungeon foi além e trouxe elementos ainda mais interessantes à mesa. Esse RPG de turnos trata a moralidade de forma orgânica, fazendo com que você convoque mercenários e os explore para conseguir bons equipamentos em masmorras. Contudo, o que você não percebe é que os guerreiros acabam sofrendo com problemas psicológicos pela ambientação sombria e pesada da atmosfera do game. Sem sombra de dúvidas, um título muito interessante.

ImagemDarkest Dungeon

15 – Shadow Warrior 2

Shadow Warrior teve um reboot muito bem-vindo em 2013, e a sequência prometia ser maior, mais rápida e com cenários procedurais. Apesar de serem elementos que podem dar errado de forma estrondosa, tudo se encaixou muito bem, colocando Shadow Warrior 2 junto com Doom como as melhores homenagens aos shooters antigos dos últimos tempos. É quase impossível um jogo que mistura Doom, Duke Nukem e Borderlands ser ruim.



Algumas menções honrosas de 2016

Punch Club, o jogo indie mais falado do começo do ano

ImagemPunch Club

Hyper Light Drifter, o RPG 2D com muita ação que é um prato cheio aos nostálgicos



Banner Saga 2, a sequência de um dos melhores jogos de estratégia por turnos dos últimos anos



Titanfall 2, o game ofuscado no meio de Battlefield 1 e Call of Duty: Infinite Warfare



Abzu, a experiência sensorial mais incrível que você verá



Total War: Warhammer, a combinação de dois mundos de estratégia

ImagemTotal War: Warhammer

Salt and Sanctuary, o Dark Souls 2D incrivelmente bem-feito que você não conhecia



Aproveite as promoções de fim de ano

A melhor parte de dar uma olhada nesses games magníficos e que podem ter passado batido por você em 2016, é que a maioria deles já é mais "velho" e certamente devem aparecer nas promoções da Steam, Nuuvem, PSN e Xbox Live. Se você relembrou algum título que estava a fim ou acabou conhecendo outro que teve vontade de testar, deixe o seu comentário abaixo. Além disso, queremos saber se você acha que há jogos que você gostaria de ter visto na lista, mas não apareceram. Bora trocar figurinhas, galera!

Fonte: Bj

Comentários

29 Dez, 2016 - 14:34

13443 Views

Comentários