Baixe agora o app da Tribo Gamer Disponível na Google Play
Instalar

Espanhol cria lâmpada que não queima e sofre ameaça de morte



A bateria de um celular morre em dois anos, um computador em quatro, a geladeira está tendo problemas em oito anos e de repente, em um belo dia, a televisão lhe diz adeus.

"Não há nada para se fazer além de comprar outra".

É possível fazer produtos que durem mais do que isso? Quem sabe a vida toda?

Benito Muros da SOP (Sem Obsolescência Programada), diz que é possível. Por isso está ameaçado de morte.

O conceito de obsolescência programada surgiu entre 1920 e 1930 com a intenção de criar um novo modelo de mercado, que visava a fabricação de produtos com curta durabilidade de maneira premeditada obrigando os consumidores a adquirir novos produtos de forma acelerada e sem uma necessidade real.

As lâmpadas e a luta de Benito Muros respondem a um novo conceito empresarial, baseado em desenvolver produtos que não caduquem, como aquelas geladeiras Frigidaire ou máquinas de lavar Westinghouse que duravam a vida toda.

Uma filosofia empresarial mais conforme com nossos tempos, graças à comercialização de produtos que não estejam programados para ter uma vida curta, senão que respeitem o meio ambiente e que não gerem resíduos que, por vezes, acabam desembocando em containers de lixo no terceiro mundo.

Veja a entrevista onde ele fala sobre seu projeto:

Se trata de um movimento que denuncia a Obsolescência Programada. Lutamos para que as coisas durem o que tenham que durar, porém os fabricantes de produtos eletrônicos os programam para que durem um tempo determinado e obrigam os usuários a comprar outros novos. A lei permite! O consumo de nossa sociedade está baseado em produtos com data de validade. Mudar isso suporia mudar nosso modelo de produção e optar por um sistema mais sustentável. Os fabricantes devem ser conscientes de que as crises de endividamento como a que vivemos são inevitáveis e que podemos deter o crime ecológico.

(Repórter: A lavadora de minha mãe durou 35 anos) E agora aos seis já da problemas. Também, antes havia umas meias de náilon irrompíveis. Deixaram de fabricar, por isso, porque duravam demais. Más hoje, por exemplo temos uma lâmpada que está acesa a 111 anos em um parque de bombeiros de Livermore (California). Foi então que surgiu a idéia de criar, junto com outros engenheiros, uma linha de iluminação que dure toda a vida.

(Repórter: Não queima nunca?) Nunca! Dura mais de cem anos, porém como não veremos, oferecemos uma garantia de 25 anos.

(Repórter: Não se vê isto nos grandes armazéns.) Não, porque as distribuidoras nos dizem que vivem das que se queimam. Inclusive recebemos ofertas de milhares de dólares para tira-la do mercado.

(Repórter: E quanto custa sua lâmpada?) Pode ser comprada online por uns 37 euros. Aos fabricantes não lhes interessa.

(Repórter: Um gênio ou um louco?) Nem um nem outro. Somente buscamos uma sociedade mais justa. Ainda que isto signifique estar ameaçado de morte. A lâmpada criada pela OEP Electrics responde à necessidade atual de um compromisso com o meio ambiente. Ao durar tanto tempo, não gera resíduos ao mesmo tempo em que permite uma poupança energética de até 92% e emite até 70% a menos de CO2.

Mas, ao que parece, a indústria de produtos elétricos não está muito contente com a descoberta. Benito Muros diz que está sendo ameaçado devido a seu invento e inclusive afirma ter recebido ofertas milionárias para retirar seu produto do mercado.

- "Senhor Muros, você não pode colocar seus sistemas de iluminação no mercado. Você e sua família serão aniquilados", reza a denúncia que Muros apresentou à Polícia, que apesar do medo não se acovardou.

Para realizar sua pesquisa, Muros viajou até o parque de bombeiros de Livermore (Califórnia), lugar no qual há uma lâmpada que permanece acesa de forma ininterrupta há mais de 111 anos. Ali contatou com descendentes e conhecidos dos criadores da lâmpada, já que não existia documentação a respeito.

Com esta informação conseguiu as bases para começar sua pesquisa, cujo achado supõe um novo conceito de modelo empresarial baseado na não Obsolescência Programada.

Conheça a lâmpada neste vídeo:

Uma pequena lista das vantagens prometidas por Benito Muros e OEP Electrics:

  1. Gasta 92% menos eletricidade que uma lâmpada incandescente, 85% em relação às alógenas e 70% em relação às fluerescentes.
  2. Garante 25 anos funcionando 24 horas por dia, 365 dias por ano.
  3. Não se queima no caso de acender e pagar varias vezes. A empresa OEP Electrics garante 10.000 (Dez mil) comutações (acender e apagar) diárias.
  4. Ela acende na hora. Não precisa esperar ela esquentar.
  5. Não emite ultra violeta e nem ultra vermelho (Evitando problemas de pele e nos olhos)
  6. Não faz zumbido.
  7. Consegue iluminar em temperaturas de até 45 graus abaixo de zero.
  8. Não contém tungstênio e nem mercúrio. Não possui metais pesados que demoram para desintegrar. São recicláveis e seguem todas as normas ambientais.
  9. Emite 70% a menos de CO².
  10. Por ter mais tempo de vida, produz menos resíduos para a natureza.
  11. Praticamente não esquenta utilizando somente aquela energia que será necessária para iluminar, ao contrário das lâmpadas convencionais que gastam 95% da energia para produzir calor e 5% para iluminar.
  12. Por não esquentar e não produzir radiação evita deteriorar os materiais que estão perto.
  13. Evitam risco de incêndio.
  14. Não prejudicam o frio dentro de câmaras frigorificas.


Visite o site da OEP Electrics:

Página no Facebook

Veja mais informações aqui.

Veja uma entrevista de Benito Muros:



Fonte: Mundogump

Comentários

28 Mai, 2013 - 22:55

6165 Views

Comentários

Kawan Meireles 30 Mai, 2013 01:58 3

evanill vc fala isso mas vc esquece que quem fazer uma nação e a população rs e imagine se toda uma nação pensasse como esse cara num futuro ecologicamente correto, em poucos anos a nação estaria sustentável e contaminaria o mundo toda a segui. foi assim com o capitalismo pode ser muito bem com a sustentabilidade

Hasiel 29 Mai, 2013 20:08 1

Tentei curtir a paginas deles, mas o link q retorna é a home do face

Pallas 29 Mai, 2013 18:01 1

ziulotaner00

É a trite regra do capitalismo atual. Eu sei lá como vão fazer pra reduzir as emissões de CO2 quando o bicho pegar, se vai ser por meio de uma suposta guerra nuclear, por meio de um vírus mortal... só digo que acho muito difícil os empresários e os governos aceitarem tão bem a ideia de que o combustível fóssil tem de ser largado, pois o impacto econômico que isso teria seria algo sem precedentes. Se alguma pesquisa descobrir um meio de gerar energia de forma tão limpa e eficiente quanto a queima de combustíveis, aí o problema vai ser alimentar toda essa gente. Humanidade é ****...

ziulotaner00 29 Mai, 2013 17:32 1

Hoje em dia vc vê alguma fábrica de bengala ou lampião,acordem.Evolução não é extinção,novos empregos surgem e velhos empregos acabam.E ainda falam que no futuro mais da metades dos veículos do mundo será elétrico,qual quer invenção que faça um rico ficar menos rico logo elá será exterminada ou desacreditada.Que se dane os pobres,ricos life by forever.

siqueira72 29 Mai, 2013 14:41 5

uma lampada que não queima? esse seria o caminho para tentar diminuir o tanto de ***** q a humanidade ja fez e faz ao planeta... muitos vão perder emprego? vão, mas arruma outro emprego pois ao contrario do que se fala, emprego tem e MUITO! o que vale? viver com dinheiro mas com cancer no pulmão? beber água poluida? ou se esforçar em conseguir outra emprego em outra area talvez ou até na mesma de um modo diferente e tentar dar um futuro melhor para o planeta e pra nós mesmo?
#saidacaverna

freman41 29 Mai, 2013 13:37 4

# evanill
esse dai deve ser daqueles q agente encontra na GameVicio!
Empregos se criam, novas vagas aparecem todos os dias, oque temos que lutar é por um mundo menos consumidor, menos capitalista, pois tudo isso é a mafia dos bancos que controlam governos e nos apenas assistimos.

chinobistar 29 Mai, 2013 13:28 6

# evanill

Não, e pouco me importo se seu pai vai ou não ficar desempregado. Estamos falando aqui de sustentabilidade, algo que poderá beneficiar bilhões de pessoas no mundo, e vamos nos importar com isso? É sério mesmo?

Tu é um alienado que pensa que o mundo vai parar de girar se as coisas mudarem. Desculpe, mas essa é a verdade.

joao2345 29 Mai, 2013 13:27 2

evanill
e adianta ter emprego se não tiver agua para beber ou ar para respirar ? diminuir o consumo não significa tirar empregos

Kawan Meireles 29 Mai, 2013 13:06 2

e verdade sim Evanill, teria muito desemprego. Mas já era o começo para um mundo mais ecologicamente correto.é ia reduzir o consumo q ñ e necessário, nos precisamos ser mais sustentável para reduzir a poluição ambiental

armandex 29 Mai, 2013 12:51 5

Não falem bobagem, por volta de quinze anos atrás diziam que os robôs comprados pelas indústrias automotivas iriam tirar o emprego dos trabalhadores braçais e iria gerar desemprego. Isso só aconteceu com as pessoas que parara no tempo e por preguiça não quiseram reavaliar sua posição na indústria estudando e se especializando nas novas áreas que estavam se abrindo. Toda vez que surgem uma tecnologia inovadora de imediato vai ter sempre aquele que pensa "o que será da minha vida", e esquecem que elas abrem novos campos de trabalho e que só precisam se adaptar a uma nova realidade. Se não fosse assim estaríamos até hoje morando em cavernas e nos esquentando em fogueiras "isso quando um raio caísse encima de uma arvore para ela pegar fogo". Que venham novas idéias e conceitos a fim de nos fazer criaturas evoluídas.

brunossj3 29 Mai, 2013 10:59 3

Apoio total...taí um belo exemplo de sustentabilidade

mekitachi 29 Mai, 2013 10:36 2

Eu li oque o MaxRE_EVIL escreveu!
Derre pente não, acura da Aids consertar alguém deve ter descoberto mais por causa do dinheiro que é muito, eles não colocam avenda.

Notícias